Limits...
Reflex õ es cr í ticas sobre os tr ê s erres, ou os peri ó dicos brasileiros exclu í dos

View Article: PubMed Central

AUTOMATICALLY GENERATED EXCERPT
Please rate it.

Recentemente CLINICS propôs para debate a idéia de que o QUALIS 2010 era passível de aperfeiçoamento, através do conceito dos três erres (Remover periódicos de revisão, Reconhecer outras métricas de avaliação, Reavaliar periódicos brasileiros)... Submetido ao debate por pares por ocasião do II Seminário Satélite para Editores Plenos (ABEC Novembro de 2010), concluiu‐se que idealmente haveria que focalizar num único erre, a saber, o reconhecimento por parte da CAPES para 2013 das métricas de avaliação SCImago (cites/document) e SciELO (Impact Factor)... A recente divulgação da coleção 2009 do SCImago Journal & Country Rank junta‐se aos já divulgados Fatores de Impacto JCR‐ISI e SciELO para aquele ano e permite o cotejo em tempo real dos três índices... A tabela 1 exibe a relação desses 138 periódicos brasileiros com Cites/Document SCImago > zero, mas sem Fator de Impacto JCR‐ISI... É fácil intuir que, para qualquer periódico brasileiro incluído nas duas coleções, há que se esperar que o impacto SCImago seja maior que o SciELO, porque a coleção SCImago contem 18.732 periódicos, contra apenas 759 na coleção SciELO... Sem esquecer a forte possibilidade de que estes 35 impactos SciELO infra‐estimem o que seriam seus impactos ISI ou SCImago... Desta simulação, podemos concluir que teríamos 173 periódicos brasileiros com IMPACTO > ZERO tratados como “SEM FATOR DE IMPACTO” pelo QUALIS caso a avaliação fosse agora e caso os critérios 2010 fossem repetidos... NOTA: este editorial é publicado por CLINICS livre de restrições de copyright... Oferecemo‐lo aos periódicos científicos brasileiros para reprodução integral ou parcial... Alternativamente sugerimos que apóiem esta idéia, em editoriais originais... Tais ações sinalizarão nossa vontade política de exercer o direito republicano de peticionar perante o poder público em defesa desta que é uma reivindicação legítima e generalizada da comunidade editorial científica brasileira.

No MeSH data available.


Correlação entre fatores do impacto J. Citation Reports (ISI – Thomson) e SCImago (2009) para 64 periódicos brasileiros representados nos dois índices com valores maiores que zero. A identidade entre métricas é praticamente absoluta. O coeficiente angular indica um ângulo de 45° (significando identidade) e a correlação (R2  =  0,932; p < 0.001) é quase perfeita.
© Copyright Policy - open-access
Related In: Results  -  Collection

License
getmorefigures.php?uid=PMC3044570&req=5

f1-cln_66p3: Correlação entre fatores do impacto J. Citation Reports (ISI – Thomson) e SCImago (2009) para 64 periódicos brasileiros representados nos dois índices com valores maiores que zero. A identidade entre métricas é praticamente absoluta. O coeficiente angular indica um ângulo de 45° (significando identidade) e a correlação (R2  =  0,932; p < 0.001) é quase perfeita.

Mentions: Vamos pois ao cenário 2009 como simulação de uma hipotética tabela Qualis: na versão 2009 do Journal of Citations Report – ISI a representação brasileira saltou de 31 a 71 periódicos; já no SCImago Journal Ranking essa representação manteve‐se constante em 235 periódicos. Existem, portanto 164 periódicos brasileiros (138 com impacto maior que zero) ausentes da tabela JCR‐ISI. Mantida a norma Qualis aplicada em 2010, estes 138 periódicos cairiam nas categorias “sem fator de impacto”. A Figura 1 mostra a identidade entre ISI e SCImago para as 64 revistas incluídas nos dois índices: o coeficiente angular unitário e o elevado coeficiente de correlação significam que, conhecendo‐se um dos índices, pode‐se estimar o outro com 95% de probabilidade de errar por menos de 5%.


Reflex õ es cr í ticas sobre os tr ê s erres, ou os peri ó dicos brasileiros exclu í dos
Correlação entre fatores do impacto J. Citation Reports (ISI – Thomson) e SCImago (2009) para 64 periódicos brasileiros representados nos dois índices com valores maiores que zero. A identidade entre métricas é praticamente absoluta. O coeficiente angular indica um ângulo de 45° (significando identidade) e a correlação (R2  =  0,932; p < 0.001) é quase perfeita.
© Copyright Policy - open-access
Related In: Results  -  Collection

License
Show All Figures
getmorefigures.php?uid=PMC3044570&req=5

f1-cln_66p3: Correlação entre fatores do impacto J. Citation Reports (ISI – Thomson) e SCImago (2009) para 64 periódicos brasileiros representados nos dois índices com valores maiores que zero. A identidade entre métricas é praticamente absoluta. O coeficiente angular indica um ângulo de 45° (significando identidade) e a correlação (R2  =  0,932; p < 0.001) é quase perfeita.
Mentions: Vamos pois ao cenário 2009 como simulação de uma hipotética tabela Qualis: na versão 2009 do Journal of Citations Report – ISI a representação brasileira saltou de 31 a 71 periódicos; já no SCImago Journal Ranking essa representação manteve‐se constante em 235 periódicos. Existem, portanto 164 periódicos brasileiros (138 com impacto maior que zero) ausentes da tabela JCR‐ISI. Mantida a norma Qualis aplicada em 2010, estes 138 periódicos cairiam nas categorias “sem fator de impacto”. A Figura 1 mostra a identidade entre ISI e SCImago para as 64 revistas incluídas nos dois índices: o coeficiente angular unitário e o elevado coeficiente de correlação significam que, conhecendo‐se um dos índices, pode‐se estimar o outro com 95% de probabilidade de errar por menos de 5%.

View Article: PubMed Central

AUTOMATICALLY GENERATED EXCERPT
Please rate it.

Recentemente CLINICS propôs para debate a idéia de que o QUALIS 2010 era passível de aperfeiçoamento, através do conceito dos três erres (Remover periódicos de revisão, Reconhecer outras métricas de avaliação, Reavaliar periódicos brasileiros)... Submetido ao debate por pares por ocasião do II Seminário Satélite para Editores Plenos (ABEC Novembro de 2010), concluiu‐se que idealmente haveria que focalizar num único erre, a saber, o reconhecimento por parte da CAPES para 2013 das métricas de avaliação SCImago (cites/document) e SciELO (Impact Factor)... A recente divulgação da coleção 2009 do SCImago Journal & Country Rank junta‐se aos já divulgados Fatores de Impacto JCR‐ISI e SciELO para aquele ano e permite o cotejo em tempo real dos três índices... A tabela 1 exibe a relação desses 138 periódicos brasileiros com Cites/Document SCImago > zero, mas sem Fator de Impacto JCR‐ISI... É fácil intuir que, para qualquer periódico brasileiro incluído nas duas coleções, há que se esperar que o impacto SCImago seja maior que o SciELO, porque a coleção SCImago contem 18.732 periódicos, contra apenas 759 na coleção SciELO... Sem esquecer a forte possibilidade de que estes 35 impactos SciELO infra‐estimem o que seriam seus impactos ISI ou SCImago... Desta simulação, podemos concluir que teríamos 173 periódicos brasileiros com IMPACTO > ZERO tratados como “SEM FATOR DE IMPACTO” pelo QUALIS caso a avaliação fosse agora e caso os critérios 2010 fossem repetidos... NOTA: este editorial é publicado por CLINICS livre de restrições de copyright... Oferecemo‐lo aos periódicos científicos brasileiros para reprodução integral ou parcial... Alternativamente sugerimos que apóiem esta idéia, em editoriais originais... Tais ações sinalizarão nossa vontade política de exercer o direito republicano de peticionar perante o poder público em defesa desta que é uma reivindicação legítima e generalizada da comunidade editorial científica brasileira.

No MeSH data available.